Pular para o conteúdo principal

Poema | Déjà Vú | Vera Aguiar

Jeito maroto.
Homem-moleque.
"Senhor",
deliciosamente atrevido.
Tudo em ti me faz de sonhos viajar.
Passo por seu rosto,
te beijo mansinho.
Toco seus cabelos,
que em meus dedos deslizam.
Tomo suas mãos,
trêmulas,
quase úmidas,
em calafrios,
que suponho circular seu corpo.
Vou agora até seus lábios,
minha trajetória completar.
Opa!
O mundo nos olha.
É preciso acordar.

Por: Vera Aguiar

Comentários

Mais Vistas do Mês

Poema | Mulher, mãe. | Vera Aguiar

E agora mulher? Vai teu filho chegar, 
te amar como santa,
de mãe te chamar.
Tomará tua vida outros rumos,
para ve-lo crescer.
Pois,
a fraca mãe vira fera,
para a cria defender,
servindo apenas a sombra,
do proprio viver.
Depois que a mulher fica mãe,
tudo é motivo para chorar:
chora se o filho sofre,
chora por pensar,
que este possa sofrer,
chora a beleza de vê-lo sorrir,
chora se na vida vencedor,
este volta para agradecer.
Mãe,
algo difícil de entender,
impossível de analisar.
Não sabe se ri ou chora,
mas,
mostra o que é ser mãe na hora,
que do filho perigos rondar.