Pular para o conteúdo principal

Poesia | Boca, divina boca. | Tony Casanova

Tão formosa perfeição em simetria/

No contorno tão divinamente pura /

Rico e belo monumento, eu diria/

Desta boca, singular arquitetura.

Quem poderia compor tamanha perfeição/

Senão um mestre na arte da própria da vida/

Laborou perfeita boca ás próprias mãos/

Do labor se fez assim se fez a preferida.

Da divina forma, á rica maciez/

O estalar da fala, o tremular sutil/

Divino mestre que te fez/

A mais bela boca que se viu.

A fala nem se fala/

Nem se ouve, tamanha hipnose/

Ao ouvir-te tudo cala/

Não há nada, tampouco vozes.

A boca, esta magnífica, singular/

Tão perfeitamente bela/

Que nem precisa falar/

Basta o olhar pra ela.

Boca plena, de volume atraente/

Só de olhar já causa encanto/

Por ser demais envolvente/

Ai boca, boca que me toma/

Feitiço do meu olhar/

Que a minha alma doma.

Por Tony Casanova. Todos os Direitos Autorais e Copyright São reservados ao autor.

Comentários

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Abaixo da postagem você pode comentar. Nós iremos moderar e liberamos em breve. Obrigado.

Mais Vistas do Mês

Poema | Déjà Vú | Vera Aguiar

Jeito maroto.
Homem-moleque.
"Senhor",
deliciosamente atrevido.
Tudo em ti me faz de sonhos viajar.
Passo por seu rosto,
te beijo mansinho.
Toco seus cabelos,
que em meus dedos deslizam.
Tomo suas mãos,
trêmulas,
quase úmidas,
em calafrios,
que suponho circular seu corpo.
Vou agora até seus lábios,
minha trajetória completar.
Opa!
O mundo nos olha.
É preciso acordar.

Por: Vera Aguiar

Poesia | Você não vai se arrepender | Sandra Paula

Olhos fechados Sinto a volúpia de teus beijos A brutalidade de tuas mãos Que me acariciam com ternura. Despertasse-me desejos, Renasci das cinzas, Reacendeste a chama da paixão Que antes apenas fumegava. Despertaste a fera indomada E o desejo da entrega De ser tua De ser por ti amada. Quero sentir teu corpo Fazer-te de sã a louco Beijar-te de canto a canto Arrancar-te suspiros Gemidos Delírios Quero viajar em tua masculinidade Viver Sentir Deslizar em tua virilidade Quero ser tua Jogar fora minhas roupas Ficar completamente nua Quero gritar de desejos Sorver teus beijos E no pulsar de minha intimidade Quero sentir você. Na loucura de quem ama Quando cravar minhas unhas em tua carne De excitação estremecer Deixa-me provar de ti Você não vai se arrepender
Por: Sandra Paula

Texto | Conto | A loba e o poeta | Sandra Paula

Depois de  mais uma noite de amor ao lado de seu poeta, a loba se trancava  em sua solidão. Adormecida sonhava com os abraços de seu amante e sonhando suspirava a felicidade dos momentos de amor que tinha a seu lado. Uma loba nas horas em que o sol cobria o bosque com seus brilhos dourados. Uma mulher quando a lua cobria de prata as noites orvalhadas. Nunca soube ao certo o motivo deste doloroso destino. Uma magia? Maldição? Nunca soube o que sucedera. Porém, estava vivendo os únicos momentos de felicidade que a vida lhe proporcionava, e estes momentos lhe chegou em forma de poesia.Como que para quebrar o encanto  o destino lhe apresentou o poeta ,um homem  que por si só já era uma poesia. A seu lado tinha vivido momentos de paixão, loucuras de amor e desejos. Tinha descoberto a felicidade de seus momentos de mulher. O poeta conhecia seu segredo, sabia ser impossível viver a seu lado como em uma vida normal. Mesmo assim a amava, a desejava e sabia lhe fazer feliz. Seu segredo não era o…