Pular para o conteúdo principal

Poesia | Divã | Sandra Paula

Procuro desabafar nos versos
O amor que trago comigo
Fiz da caneta companheira,
 Amiga de meus escritos.
Nos versos falo o que pressinto
O amor a cada manhã.
Fiz do desabafo meu escape
Fiz dos poemas meu divã.
Neles escrevo o que sinto
Se falo que te amo
...Acredite...
...Não minto...
Falo da saudade dilacerante
Que me traz a falta de você.
Em meus poemas desabafo,
Neles vejo despido o meu eu,
Sem fantasias...
Sem camuflagem...
Neles sou realidade,
Sou amiga, amante, sou irmã
Falo de você, falo de mim,
Das minhas noites e manhãs.
Expando meus sentimentos
Faço de meus poemas meu divã.
Eles me acolhem em silencio
Me escutam sem reclamar
Deixam-me aliviada
E quando em meu rosto
Uma lagrima resvala
A saudade de você
Professando o meu/ teu bem querer,
Meus poemas me abraçam
Seguram em minhas mãos
Beijam-me gentilmente
Afagando-me o coração.
Em meus poemas falo de um anjo
Que me traz nos lábios o sorriso
Frêmito no coração...
Nos olhos deixam um brilho...
Seja noite...
Seja manhã
Desabafo o meu amor
Revelo você...

Em meus poemas
Meu divã


Poema de: Sandra Paula Souza

Comentários

  1. Muito bom este texto Sandrinha, muito sóbrio, consistente e bem elaborado. Muito gostoso de ler. Parabéns mais uma vez poetisa, que seus textos possam sempre vir cheios desta aura e nos passem este desejo de continuar a Lê-los.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante. Abaixo da postagem você pode comentar. Nós iremos moderar e liberamos em breve. Obrigado.

Mais Vistas do Mês

Poema | Déjà Vú | Vera Aguiar

Jeito maroto.
Homem-moleque.
"Senhor",
deliciosamente atrevido.
Tudo em ti me faz de sonhos viajar.
Passo por seu rosto,
te beijo mansinho.
Toco seus cabelos,
que em meus dedos deslizam.
Tomo suas mãos,
trêmulas,
quase úmidas,
em calafrios,
que suponho circular seu corpo.
Vou agora até seus lábios,
minha trajetória completar.
Opa!
O mundo nos olha.
É preciso acordar.

Por: Vera Aguiar

Poema | Mulher, mãe. | Vera Aguiar

E agora mulher? Vai teu filho chegar, 
te amar como santa,
de mãe te chamar.
Tomará tua vida outros rumos,
para ve-lo crescer.
Pois,
a fraca mãe vira fera,
para a cria defender,
servindo apenas a sombra,
do proprio viver.
Depois que a mulher fica mãe,
tudo é motivo para chorar:
chora se o filho sofre,
chora por pensar,
que este possa sofrer,
chora a beleza de vê-lo sorrir,
chora se na vida vencedor,
este volta para agradecer.
Mãe,
algo difícil de entender,
impossível de analisar.
Não sabe se ri ou chora,
mas,
mostra o que é ser mãe na hora,
que do filho perigos rondar.